imagem de mãos abertas em fundo preto

Grata à oração

Fotografia de Milada Vigerova no Unsplash

Muitas de nós só se lembram de orar em momentos de aflição, mas será que no dia-a-dia também só falamos com a nossa família ou amigos quando estamos necessitados? A correria em que vivemos impede-nos, muitas vezes, de pararmos, de apreciarmos o silêncio e de reavivarmos a relação com os outros e com Deus. 

Deus pede-nos para orar, afinal, qual é o Pai que não quer ouvir os seus Filhos?  Rezar é uma conversa com a qual fortalecemos a nossa relação com Ele, em que nos damos a conhecer e ganhamos esperança. Podemos pedir, sim, mas também agradecer e partilhar os nossos sentimentos, para que, com o seu amor, Ele nos guie nesta nossa caminhada. 

Neste momento de conversão que vivemos (Quaresma), a oração é indispensável. Não a vejamos como obrigação, mas como um presente que nos é dado pelo Pai, que, pacientemente, nos ouve vinte e quatro horas por dia, deixando sempre um sentimento de conforto e paz nos nossos corações.

Pronta para abrir o coração ao Pai e receber o seu conforto?


Deixar um comentário