imagem de homem ao por do sol com 3 cruzes

O Bom Ladrão

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay 

Foi há cerca de 2000 anos que os homens torturaram e crucificaram Aquele que espalhou a mais nobre mensagem de amor e deu a vida por todos nós, sofrendo na Cruz pelos meus e pelos teus pecados. 

Hoje, muitos de nós negam a existência de Deus e duvidam até da Sua pregação na terra. Outros (tantos!), ridicularizam quem, humildemente, tenta pautar a sua conduta pela Palavra de Deus e são crucificados pela língua espinhosa dos que não conhecem o Seu amor.

E esta humanidade, tal como a de há 2000 anos, prossegue caminhando nas trevas, desinteressada da vida espiritual, sem amor para dar ou para receber. Aproxima-se a Páscoa, a grande celebração do povo cristão e, por momentos, penso no grande sofrimento de Jesus, o filho de Deus feito homem para resgatar a humanidade das trevas do pecado. Ele, que morreu à mão dos que foram por Ele curados e salvos. Ele, que foi torturado e crucificado juntamente com dois ladrões: um que preferiu permanecer no pecado e o outro que se arrependeu e pediu o perdão; para esse, sim, houve lugar no Paraíso.​ Um deles mantinha-se arrogante e soberbo: “Não és Tu o Messias? Salva-Te a Ti mesmo e a nós também”. O outro, compadeceu-se do Santo Inocente e, “…tomando a palavra, repreendeu-o: «Nem sequer temes a Deus, tu que sofres o mesmo suplício? Quanto a nós, fez-se justiça pois recebemos o castigo que as nossas ações mereciam, mas Ele nada praticou de condenável». E acrescentou: «Jesus, lembra-Te de mim quando estiveres no Teu reino». Ele respondeu-lhe:

“Em verdade te digo: Hoje estarás Comigo no Paraíso”

Lucas 23: 39-43

Nos dias de hoje, esta mensagem faz mais sentido que nunca e nela reside a resposta para os problemas da atualidade: arrependimento​,​ conversão​ e humildade​. É este, sem dúvida, o verdadeiro e único caminho que nos leva ao Pai.

Senhor, também eu, embora consciente da minha pequenez, Te peço que, quando chegar a minha hora, possa ouvir de Ti: “Hoje estarás comigo no Paraíso”.

E tu, queres ser o bom ou o mau ladrão?


Deixar um comentário