O dia em que o Natal morreu

Começando pelo fim. Não sei exatamente qual o dia em que o Natal morreu, ou se podemos, com rigor, apontar uma data e hora, ou mesmo se podemos afirmar que o recém nascido Jesus possa ter caído no esquecimento.

O que é certo é que a época natalícia parece ter perdido o seu real significado: a celebração do nascimento de Jesus.

Talvez a data da morte do Natal não seja demasiadamente importante, mas antes indagar as causas que levaram a este “desfecho”.

Em primeiro lugar, os valores cristãos têm vindo a ser substituídos pela renúncia e até ridicularização da palavra de Deus.

Em segundo, há um claro abandono da ideia tradicional de família. Estamos demasiado focados no “eu”, em detrimento do “nós”.

Em terceiro lugar, poucos são os que associam o Natal ao nascimento do Salvador.

Hoje o Natal é sinónimo de consumismo desenfreado.

Como inverter esta tendência?

Numa sociedade aparentemente despojada de valores, em que a tendência é a de idolatrar “santos com pés de barro”, ressuscitar o verdadeiro significado da época não se avizinha tarefa fácil.

Cabe-nos continuar a espalhar a palavra do Senhor, por um lado e, por outro, sermos solidários e amar o nosso semelhante, sem nos esquecermos que tal amor foi o que Jesus nos pediu para ter pelo próximo.

Que saibamos amar o nosso semelhante como Deus nos amou e… “ressuscitemos então, o Natal”.

Um santo Natal a todos


Deixar um comentário