mulher a caminhar no deserto

Quando estás no deserto

No percurso da nossa viagem pela vida, fazemos alguns desvios pelo deserto. Certamente, já passaste por fases da tua vida em que te sentiste sozinha, triste, em que tudo te corre mal e a tua vida está do avesso. De certa forma, é como se estivesses mesmo num deserto, onde só há areia, onde o calor aperta durante o dia e as noites são geladas. Acredita, todos nós passamos por isso, mais cedo ou mais tarde. É no deserto, que às tantas começamos a sentir sede e fome de consolo, de luz, de algo que nos guie e indique o caminho de saída.

Assim como Jesus foi levado até ao deserto e lá foi tentado, também nós passamos pelo mesmo. 

A tentação e a provação são formas de podermos crescer, como pessoas e como cristãos, se confiarmos que Deus está connosco. Ao contrário do que algumas pessoas pensam, não é Deus que nos tenta.

Mas, quando alguém for tentado não diga:“Foi Deus que me mandou esta tentação.” Porque Deus nem é tentado por nenhum mal, nem é causador de tentação para  ninguém. Os maus desejos é que são motivo de tentação para cada um, desviando-o do caminho certo e fazendo-o cair na armadilha. (Tiago 1: 13-14).

Apesar de parecer que não somos ouvidos, Ele está ali do nosso lado pronto para nos amparar e, se cairmos, levanta-nos do chão. Jesus pede que confiemos Nele. 

O que determina o curso da nossa vida, quando somos tentados e provados, é a forma como encaramos essa fase da nossa vida. Uma coisa teremos sempre de ter no coração e na mente: a fé é acreditar, verdadeiramente, que há alguém que nos ama seja qual for o resultado da nossa luta. Ele tudo fará para que essa fase sirva de santificação para nos levar à salvação. O grande objetivo de Deus é salvar-nos.

Aproveita os momentos em que estás “nesse deserto” para crescer. Mesmo que te pareça que Ele não te escuta, não deixes de confiar. Jesus prometeu que estaria sempre connosco até ao fim. Ele mesmo foi tentado, Ele também sofreu e por isso mesmo sabe o que tu, eu e todos nós sentimos.


Deixar um comentário